Artigos relacionados

Luís Manuel de Oliveira Neto, filho de famílias essencialmente vidreiras, nasceu na Marinha Grande em 25-06-1953. Estudou nas escolas primária e secundária na Marinha Grande e Leiria e no antigo Instituto Comercial de Lisboa, actual ISCAL, de 1971 a 1974.

Participou no movimento estudantil e militou em organização política antes do 25 de Abril de 1974 e no movimento operário, até alguns anos depois.

Trabalhou na indústria vidreira cerca de sete anos e depois ingressou no quadro de Oficiais de Justiça dos Tribunais (Marinha Grande, S. João da Madeira, Albergaria-a-Velha e Vila Real), donde se aposentou.

Tornou-se ao longo da vida autodidata em várias disciplinas, tendo colaborado desde novo em jornais locais e regionais, tanto da sua região natal, como das localidades onde trabalhou, bem como em revistas de carácter literário e histórico. Escreveu poesia, história local, opinião literária e política, tendo inéditas novelas, biografias, bibliografias e guias de fontes históricas, ensaios e outros escritos.

Bibliografia publicada

Do Foro Interior, poemas, com Artur Oliveira, Margarida Gaspar e Victor Cravo, colecção “Amores Perfeitos”, “Quasi Editora”, Famalicão, 2001;

– Da Marinha ao Mar – Motivações Poéticas, poemas, edição do autor, Tipografia Minerva Transmontana, Vila Real, 2003;

Brisas no Douro, poemas, edição do autor, Tipografia Minerva Transmontana, Vila Real, 2008;

– História da Imprensa Periódica Local (do concelho da Marinha Grande), edição do autor, Tipografia Minerva Transmontana, 2013;

A Marinha Grande nas Exposições Universais e Nacionais (1776-1957), edição do autor e editora Textiverso, Leiria, 2015;

A Antiguidade da Mata de Leiria, separata dos Cadernos de Estudos Leirienses, 2016;

Orla da Mata. 1 - Vida Rural e Povoamento, edição do autor e de Textiverso, 2017.

Artigos em revistas

– “A Mata de Leiria nas Exposições Universais”, in Cadernos de Estudos Leirienses, n.º 1, Maio 2014;

– “Orla da Mata – A Agricultura de outrora”, in Cadernos de Estudos Leirienses, n.º 3, Dezembro 2014;

– “O espírito inventivo na Marinha Grande”, in Cadernos de Estudos Leirienses, n.º 5, Setembro 2015;

– “São Pedro de Muel em 1877”, tradução, in Cadernos de Estudos Leirienses, n.º 5, Setembro 2015;

– “'Vivemos e Viveremos'. Um Período da Nacional Fábrica de Vidros da Marinha Grande", in Cadernos de Estudos Leirienses, n.º 11, Dezembro 2016;

– “Muel - Em torno do Topónimo”, in Cadernos de Estudos Leirienses, n.º 12, Maio 2017.

Alguma bibliografia inédita

– Bibliografia Marinhense – Guia De Fontes, iniciada cerca de 1996, em atualização;

– Dias sem História (Marinha – Lisboa, 1971-1974), novela histórico-política, acabada de escrever cerca de 2003;

– Vitrália, 1975, novela histórico-política, escrita cerca de 2000;

– Sanfins do Douro – O Topónimo e a História, em preparação para publicação;

– O Príncipe da Juventude (novela de romanos e lusitanos, 217-218 d.C.);

– A Alma Poética (a integrar na coleção Orla da Mata);

– Luta Constante (idem);

– Viver Para Comer - receitas dum curioso.