Título completo: Maçons de Pedra e Cal – A Maçonaria ao Vale do Zêzere

Autores: Aires B. Henriques e Nuno R. Soares

Distribuição Cód.: D002

Editor: Villa Isaura – Turismo Rural e Museu da Republica e Maçonaria

ISBN: 978-989-2061-89-4

N.º de páginas: 578

Preço: 30 euros

Disponibilidade: Disponível

[COMO ENCOMENDAR]

Sinopse

Os estudos que constituem este livro incidem sobre uma região relativamente circunscrita, mas vasta, classificada como “Vale do Zêzere”, englobando os concelhos de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, do Distrito de Leiria, e o da Sertã, do Distrito de Castelo Branco, entre a Serra da Lousã e a Serra do Moradal. Neste trabalho se procuram reconstituir as relações entre movimento republicano e maçonaria naquela região, ainda que essa relação nem sempre seja evidente. Com efeito, é possível encontrar na mesma localidade destacados republicanos que nunca foram maçons e, de igual modo, maçons que nunca desempenharam papéis de relevo no âmbito do republicanismo.

Identificam-se neste livro as estruturas maçónicas que estiveram em actividade na região – Lojas e Triângulos – com o máximo de informações biográficas que ajudam a completar o currículo maçónico, ainda que sintético. Essas notas são enriquecidas com abundantes fotografias, documentos e outras ilustrações directamente ligadas aos biografados.

Apesar de os autores reconhecerem que aos serranos daquela região «se associa normalmente o analfabetismo, a pobreza e a precariedade», também assinalam «que a sua maioria manifesta um grande denodo, vontade e saber para ultrapassar as dificuldades da vida e encontrar as soluções que lhe parecem mais ajustadas». E acrescentam: «Nunca quisemos crer que serrano ou “ratinho” fosse apenas sinal de trabalho duro, analfabetismo e estupidez, de gente politicamente amorfa, desinteressada e sem perspectivas de luta e futuro. Por isso, depois da Direcção da Casa de Pedrógão Grande em Lisboa ter procurado descrever a vida e trabalho desses desafortunados serranos e trabalhadores “ratinhos”, “sem eira nem beira”, consideramos ter chegado o momento de relatar a outra face desses beirões serranos, como homens lutadores, cultos, de bons costumes e politicamente empenhados na mudança da sociedade, fazendo da existente uma outra mais livre, igual e fraterna, digna e justa.» Designadamente através do seu ingresso na Maçonaria e/ou da sua intervenção no movimento republicano.

No final da obra estão inseridas algumas páginas dedicadas à entidade responsável pela edição, o Museu da República e Maçonaria, na Villa Isaura, em Pedrógão Grande, e um glossário de expressões e conceitos maçónicos.

O livro constitui, assim,  um valioso contributo para o melhor conhecimento da história da Maçonaria na região que abrange. E é, sem dúvida, mais um significativo tijolo na construção da História da Maçonaria em Portugal.

 

Título completo: Anedotas, Cenas Caricatas e Curiosidades da História de Portugal

Autor: Frei Ricardo Espirituoso e Marcial Roiz

Distribuição Cód.: D001

Editor: Mário Rui Simões Rodrigues

ISBN: 978-989-9871-90-8

N.º de páginas: 342

Preço: 15 euros

Disponibilidade: Disponível

[COMO ENCOMENDAR]

Sinopse

Combinando Humor, História e Literatura, a obra Anedotas, Cenas Caricatas e Curiosidades da História de Portugal constitui um exemplo singular de um livro simultaneamente recreativo e cultural, popular e erudito, distractivo e instrutivo.

Compõe-se de três partes distintas: a Parte Primeira, composta por anedotas publicadas no século XVIII; a Parte Segunda, constituída por episódios caricatos ocorridos também neste século; e a Parte Terceira formada por várias curiosidades históricas instrutivas e distractivas redigidas de forma cómica ou irónica, relativas à mesma centúria.

Se, parafraseando a poetisa Natália Correia, os livros são para comer, bem se pode afirmar que a leitura da obra Anedotas, Cenas Caricatas e Curiosidades da História de

Portugal será um inolvidável banquete, repleto das mais deliciosas iguarias: umas dulcíssimas, outras assaz picantes...