Artigos relacionados

Na montra

contemporaneidades_capa.jpg

Ao fim de onze edições, os Cadernos de Estudos Leirienses voltaram a ser apresentados em Leiria. Desta vez foi no Museu de Leiria / Convento de Santo Agostinho, no dia 10 de Dezembro de 2016. O volume n.º 11 dos Cadernos tem 502 páginas e dedica mais de metade delas ao concelho de Leiria, num dossiê que suscita a maior curiosidade. Desta vez, porque foi o Museu de Leiria a acolher o lançamento da última edição dos Cadernos, coube à Dra. Vânia de Carvalho, arqueóloga responsável pela instituição, a tarefa de apresentação do dossiê sobre Leiria. O coordenador científico, Professor Saul Gomes, deu antes uma nota geral sobre o volume. Presentes ainda o editor, Eng. Carlos Fernandes, e a Chefe de Divisão da Cultura da Câmara de Leiria, Dra. Helena Brites, também Presidente da Junta de Freguesia do Arrabal, na circunstância a “jogar em casa”, uma vez que estes Cadernos inserem dois estudos sobre a freguesia do Arrabal.

 

Saul Gomes congratulou-se por esta iniciativa editorial continuar de pé e, ao fim de onze edições, concitar cada vez mais interesse e colaborações sempre mais e mais diversas e importantes. Sublinhou o facto de esta publicação estar a concitar investigações inéditas, desde a psiquiatria à etnografia, e ser pretexto para o encontro regular dos investigadores. Desejou que as áreas de investigação se diversifiquem ainda mais, tornando os Cadernos mais abrangentes. Voltou a referir a presença quase sistemática de estudos sobre os concelhos centro e norte do Distrito, designadamente Alcobaça e Batalha, muito particularmente pela extraordinária importância dos seus monumentos património da Humanidade, e lamentou que os concelhos mais a sul continuem ausentes. Salientou, por fim, que, para além do dossiê sobre o concelho de Leiria, outro tanto espaço era dedicado a outros concelhos, o que representa um esforço louvável de cobertura do território.

Por sua vez, Vânia de Carvalho apresentou um a um os estudos dedicados ao concelho de Leiria, chamando também a atenção para a variedade de temas abordados e sublinhando a importância que cada um reveste na respectiva área de investigação. O leitor pode ver na sinopse deste volume (em Colecções / Cadernos) o respectivo índice. Nas rubricas finais do volume estão ainda inseridas outras matérias, em boa parte relativas a Leiria, como transcrições, fac-símiles, documentos, imagens, museus, notícias e bibliografia que podem interessar a leitores e investigadores.

Como habitualmente, após a apresentação dos Cadernos nos diversos concelhos, realiza-se uma tertúlia na Biblioteca Municipal de Leiria para debate dos temas de cada edição. A tertúlia em torno dos temas do volume 11 dos Cadernos está agendada para 14 de Janeiro de 2017, às 15h30.