Artigos relacionados

Na montra

soares_barbosas_capa.jpg

Depois de, a 23 de Abril, o livro ter sido apresentado em Tarragona, na Catalunha, foi agora a vez de o ser em Portugal, justamente na Casa-Museu | Centro Cultural João Soares, nas Cortes. Tem por título “Diário de Alba / Diari d'Alba”, escrito em português e em catalão, e é da autoria do escritor Luís Vieira da Mota (da Abadia, Cortes, Leiria) e das suas netas Mireia Oncins e Helena Oncins (esta última com as ilustrações), ambas a viver na Catalunha. Com 52 páginas em português e 52 páginas em catalão, a produção foi da Textiverso (Leiria). Na mesa estiveram os autores, o Vereador da Cultura da Câmara de Leiria, Dr. Gonçalo Lopes, o editor, Carlos Fernandes, e a apresentadora, a psicóloga espanhola residente em Leiria, Maria Angeles Ludeña.

Transcorrido mais um ano lectivo no Instituto Cultural D. António Ferreira Gomes, no Porto, foi a altura de lançar nova antologia de trabalhos produzidos pelos alunos seniores da unidade cultural “Poesia e Dizer”, no ano lectivo de 2015-2016, o que aconteceu no dia 29 de Junho de 2016. É um livro de 64 páginas que tem por título “Ecos” e é também o 9.º volume desta série produzido pela Textiverso para aquele Instituto.

Momentos de uma Vida – Poesia 1942-2008 é o título de um livro póstumo da autoria de Gentil Ferreira e Sousa, que foi director do Arquivo Distrital de Leiria, então Biblioteca Pública e Arquivo Distrital de Leiria, de 1969 a 1994. Tem 128 páginas e foi organizado e editado pelo CAJIL – Centro de Apoio a Jovens e Idosos do Lumiar (Lisboa), com coordenação editorial da Textiverso e o apoio da Câmara Municipal de Leiria, da DGLAB/Arquivo Distrital de Leiria, da Fundação Caixa Agrícola de Leria e da União de Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes.

A sessão de lançamento foi justamente no Arquivo Distrital de Leiria no dia 4 de Junho, no âmbito das comemorações do 1.º Centenário desta instituição e na presença de numerosos amigos, entre os quais se pronunciaram publicamente a Directora do Arquivo, Paula Cândido, e os académicos José Augusto Felício (Director do CAJIL), Saul António Gomes e Virgolino Ferreira Jorge e ainda Arménio Vasconcelos e o Vereador Gonçalo Lopes. Interveio depois o Coral Cantábilis que interpretou e cantou poesia de Afonso Lopes Vieira e do autor do livro.

Foi no “Espaço Eça”, na Rua Direita, em Leiria, que Manuela Ribeiro apresentou, no dia 28 de Maio de 2016, o seu último livro, “História que há de ser”, com ilustrações de Nídia Nair. É um livro de 20 páginas, no formato 22x22, edição da Textiverso, de Leiria, e n.º 4 da colecção “Para os mais pequenos”.

A sessão teve a participação das duas autoras e ainda de uma terceira componente, a bailarina Inesa Markava. Esta e Nídia Nair iniciaram o momento cultural com uma pequena representação cénica, seguida de um passo de dança que, no final, envolveu a escritora e o seu boneco de neve, protagonista solitário da história.

O oitavo volume dos Cadernos de Estudos Leirienses foi lançado no dia 21 de Maio no auditório do Mosteiro da Batalha, numa parceria com este Mosteiro, com o Município da Batalha e com o CEPAE – Centro de Património da Estremadura. Com 560 páginas, este volume insere um caderno a cores e um grande destaque de 214 páginas com temas sobre o Mosteiro e concelho da Batalha. A edição deste monumental trabalho é da responsabilidade da editora Textiverso, de Leiria, e conta com a coordenação científica do historiador leiriense, Professor Saul António Gomes. Foi justamente este académico quem fez a apresentação geral do volume, deixando para o Mestre Pedro Redol, técnico superior do Mosteiro e seu ex-director, a apresentação específica dos 15 temas dedicados à Batalha. Intervieram ainda o Director do Mosteiro, Dr. Joaquim Ruivo, o Presidente do CEPAE, Eng. Micael Sousa, e o Presidente da Câmara Municipal da Batalha, Dr. Paulo Jorge Frazão Batista dos Santos.

O auditório da Biblioteca Municipal de Alcobaça acolheu, no dia 7 de Maio de 2016, mais uma sessão para o lançamento de um livro. Trata-se de “Estudos sobre o Mosteiro e coutos de Alcobaça”, da autoria de António Maduro e de Rui Rasquilho. Com 236 páginas, foi uma edição dos autores e da Textiverso, de Leiria, volume n.º 33 da colecção “Tempos & Vidas”. A apresentação foi feita pelos próprios autores.

O livro insere 13 estudos independentes, embora todos eles com o Mosteiro de Alcobaça e o seus antigos coutos em fundo. Sete deles são assinados por António Maduro, cinco por Rui Rasquilho e apenas um por ambos. Todos eles haviam sido já publicados em revistas da especialidade, pelo que a sua reunião em livro os torna mais acessíveis ao público, em particular aos menos especializados. Enquanto Rui Rasquilho, antigo director do Mosteiro, centra as suas atenções na estrutura do monumento e na história dos que lá viveram e ainda na preservação do património e nas igrejas paroquiais da vila, António Maduro, doutorado em História Contemporânea, orienta as suas investigações para as estruturas e vida rural dos coutos, detendo sobre o assunto conhecimentos vastos e específicos.

Um tanto fora do calendário habitual, foi apresentado no dia 30 de Abril de 2016, na Biblioteca Municipal de Leiria, o volume n.º 7 dos “Cadernos de Estudos Leirienses”, uma coedição da Textiverso e da Câmara Municipal de Leiria. Este volume, de apenas 208 páginas, é quase totalmente dedicado às comunicações apresentadas no colóquio “A glória do Esquecimento – 70 anos sobre a morte de Afonso Lopes Vieira”, realizado em Leiria em 26 de Janeiro último.

Dizemos quase porque, além dos textos das seis comunicações, o volume insere ainda uma “Apresentação” assinada por Raul Castro (Presidente da Câmara) e uma “Introdução” da Prof.ª Cristina Nobre, que foi também a coordenadora do volume. E ainda, em anexo, “A obra publicada (em volume e dispersos)” e o fac-simile do folheto de 36 páginas “Éclogas de agora”, ambos de Afonso Lopes Vieira. Encerra com “Breves notas biobibliográficas  sobre os ensaístas” e algumas fotografias do Colóquio.

Na livraria Arquivo (Leiria), cumpriu-se, no dia 12 de Março de 2016, o que fora anunciado em convite para a apresentação «As Mulheres», um poema inserido num postal ilustrado, ambos da autoria de Nídia Nair, com produção da Textiverso. Um momento breve e informal que permitiu despertar sentidos de alegria e cumplicidade.

Susana Neves, em nome da direcção, acolheu intervenientes e visitantes.

Pedro Moniz, depois de reunir os textos poéticos que foi produzindo e, na sua maioria, publicando na imprensa, decidiu juntá-los e organizar um livro, tentando com eles dar uma ideia da sua própria evolução e marcar momentos que de alguma forma são balizas da sua visão do mundo. Por isso lhes deu o nome lato de “Pérolas de Vida” – pelo seu valor, enquanto escrita poética, e pelo seu significado, enquanto mensagem generosa do seu exemplo de vida. O livro tem 86 páginas e foi produzido pela editora Textiverso.

O lançamento público foi no dia 12 de Março de 2016 e decorreu na sala de conferências da Fundação Caixa Agrícola de Leiria, com apresentação pelo escritor Luís Vieira da Mota e com leitura de poemas por Zaida Nunes. A sessão contou ainda com alguns momentos musicais em que intervieram a Escola de Música da Barreira, o Grupo de Jovens da Chaínça e Paulo Costa através de um vídeo com uma composição musical sua sobre um poema de Pedro Moniz. No final, Pedro Moniz ofereceu uma parte dos livros à ADESBA.

Recreio de memórias é o título do último livro do Dr. Fernando Manuel Brites, do Soutocico (Arrabal, Leiria). Tem 612 páginas, é uma edição restrita do autor e foi produzido pela editora Textiverso, de Leiria.

O lançamento deste extenso trabalho foi feito no Clube Recreativo e Desportivo do Soutocico (de que foi um dos fundadores) no dia 23 de Janeiro de 2016, durante um almoço de familiares e amigos que reuniu cerca de 80 convivas. A apresentar esteve o próprio editor, Carlos Fernandes.

Depois de referir a já notável obra escrita de Fernando Brites, o apresentador salientou justamente a sua «experiência muito significativa neste mester de escrever, até pelo hábito salutar de sempre tomar notas dos acontecimentos». Sem desvalorizar a sua produção global, considerou “Vozes no Charco” e “O último patamar” «trabalhos de muito mérito que valem por todos». Especialmente «porque são o fruto de uma vivência muito intensa e vibrante e a leitura atenta e lúcida dos acontecimentos».

História do Senhor Sisudo que sabia Tudo Tudo, com texto de Manuela Ribeiro e ilustrações de Nídia Nair, é o terceiro volume da colecção “Para os mais pequenos”. Tem 20 páginas e foi editado pela Textiverso no mês de Outubro de 2015.

As autoras fizeram uma primeira apresentação em Lisboa, no dia 12 de Dezembro de 2015, na Cabine de Leitura, à Praça de Londres.

Depois no dia 20 Dezembro, à tarde, foi em Leiria, no Espaço Eça (à Rua Direita), com a história a ser interpretada por Frédéric da Cruz P., do grupo Leirena Teatro.