Artigos relacionados

Na montra

caldas1923capa.jpg

No âmbito do Dia dos Avós, a ADPV – Associação de Desenvolvimento, Progresso e Vida de Liceia (Montemor-o-Velho) e a autora lançaram o livro A avó que sonhava o mar, de Lurdes Breda (texto) e Joana Rita (ilustrações), produzido pela Textiverso. A sessão decorreu no dia 16 de Julho de 2017, na sede da ADPV (antiga escola primária de Liceia), com apresentação de Filipe Monteiro (escritor e mágico), com a animação de Manuel Ribeiro (música) e de Alana Silva (dança). Estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho e o Presidente da Junta de Freguesia de Liceia.

No Celeiro da Casa do Terreiro, foi lançado, no dia 1 de Julho de 2017, o 1.º volume daquela que se designou Obra Póstuma, de Luiz-Manuel. É um livro de poesia de 182 páginas, edição da Fundação Caixa Agrícola de Leiria e produção da Textiverso.

Com apresentação do livro pela Professora Cristina Nobre, esta sessão constituiu também uma homenagem a Luiz Manuel Ferreira dos Santos, cidadão e escritor marinhense sempre amigo dos seus conterrâneos, que muito prezam a sua memória.

Escritor e tradutor bilingue (português e francês), Luiz-Manuel era natural da Marinha Grande. Radicado na Suíça desde Dezembro de 1962, vivia na cidade de Renens, perto de Lausana, onde faleceu a 27 de Maio de 2011. Por sua vontade foi cremado, e as suas cinzas foram deitadas ao mar de S. Pedro de Moel, junto ao farol do Penedo da Saudade onde se encontra o seu memorial. Publicou treze volumes de poesia, em português, francês e bilingues. Está traduzido em grego, russo, italiano e romeno.

O Edifício da Resinagem, na Marinha Grande, foi o local escolhido para o lançamento, no dia 1 de Julho de 2017, do livro Marinha Grande em carne viva. 1 –  Revolta no Pinhal, de Fernando Luz. Edição do autor, o livro foi produzido pela Textiverso e tem 194 páginas. A apresentação esteve a cargo de Alexandra Luz e de Carlos Fernandes

Trata-se de um segundo livro, depois de “Revolta na Stephens”, apresentado em 2016. Como aconteceu no volume de estreia, o autor toma como base da sua trama alguns acontecimentos reais, que ficciona a seu jeito, dando-lhe os contornos que a história registou ou a memória evoca, às vezes lembrando as personagens que efectivamente estiveram nos acontecimentos, outras preenchendo o enredo com personagens criadas que, por assim dizer, dão “volume” àqueles acontecimentos.

O auditório da Biblioteca Municipal da Marinha Grande acolheu, no dia 24 de Junho de 2017, o lançamento do livro Orla da Mata. 1- Vida Rural e Povoamento, da autoria de Luís Neto. É um trabalho de 300 páginas, edição do autor, com produção da Textiverso. A apresentação foi feita por Carlos Fernandes e pelo autor.

“Vida Rural e Povoamento” na orla da grande Mata Nacional é a monografia que faltava na historiografia marinhense, uma vez que já outros autores escreveram sobre a actividade industrial, sobre as elites locais e sobre o Pinhal de Leiria. Este trabalho vem, assim, colmatar a desvalorização a que, na historiografia local, se tem submetido a agricultura e o povoamento, ou seja, a vida rural com a sua panóplia de actividades e relações sociais.

Com data de Maio de 2017, já está na rua o volume n.º 12 dos Cadernos de Estudos Leirienses. Produzido pela editora Textiverso, tem 512 páginas e insere um dossiê dedicado a Ourém, da Diocese de Leiria-Fátima. Foi lançado no dia 27 de Maio na Galeria Medieval de Ourém, perto do castelo, e foi apresentado por Saul António Gomes, coordenador científico da publicação, e por Ana Saraiva, Directora do Museu Municipal de Ourém.

O auditório do Arquivo Distrital de Leiria foi o local escolhido para o lançamento, no dia 21 de Maio de 2017, do livro monumental Forais de Leiria, da responsabilidade do historiador leiriense Saul António Gomes (com Paula Cândido, Ana Teresa Rodrigues e Mário Rui Simões Rodrigues). De grande formato e impressão a cores, este livro tem 496 páginas e é uma edição da Textiverso.

A apresentação foi feita por Saul Gomes, numa sessão que contou com a presença do Presidente da Câmara de Leiria, Raul Castro, do seu Vereador da Cultura, Gonçalo Lopes, do grande apoiante da edição, Ricardo Charters d’Azevedo, do editor, Carlos Fernandes, e da Directora do Arquivo Distrital, Paula Cândido.

No Celeiro da Casa do Terreiro, em Leiria, foi lançado no dia 6 de Maio de 2017 o livro Guiné – Um rio de memórias, da autoria de Luís Branquinho Crespo, advogado residente em Leiria, mas natural das Portelas da Reixida, freguesia das Cortes (1944). O livro tem 182 páginas e é uma edição do autor, com produção da Textiverso. A apresentação esteve a cargo do prefaciador, Dr. António Graça de Abreu, tendo a sessão terminado com a projecção de uma sequência de imagens de África ao som de música correspondente. Foram «canções das terras que o livro percorre, que vão da Guiné a Portugal, passando por essas terras, e depois, na memória dos que regressam, os sons da Guiné ainda se ouvem, e por isso se repete, abreviadamente, a canção inicial» – explicou o autor.

Figueiró dos Vinhos voltou a ser palco para o lançamento de um livro, desta vez com o título Figueiró dos Vinhos – 8 Séculos de História. Passado. Presente. Futuro., da autoria de Miguel Portela. Edição da União das Freguesias de Figueiró dos Vinhos e Bairradas e produzida pela Textiverso, esta extensa monografia, de 296 páginas, com capa dura, foi ali apresentada pelo autor no dia 1 de Maio de 2017, na Casa da Cultura. A sessão integrou-se nas comemorações do Dia da Freguesia e dos 40 anos do Poder Local Democrático.

“Ao Encontro de Leiria” é o título de um livro didáctico, dirigido para um público infanto-juvenil, da autoria de Ana Vale, com edição do Município de Leiria. Com 64 páginas, foi produzido pela Textiverso, de Leiria, e lançado no dia 22 de Abril, na sala do Capítulo do Museu de Leiria. Estiveram na mesa, para além da autora, o Vereador da Cultura da Câmara de Leiria, Dr. Gonçalo Lopes, o editor, Carlos Fernandes, e a apresentadora, Maria Clara de Sousa Fonseca.

Pedro Moniz, da Barreira, é o autor de um livro ficional, com alguns aspectos monográficos, que tem por título “Ai! Joaquinita – Crime à beira de água”, com 158 páginas, produzido pela Textiverso e lançado em Leiria, no Celeiro da Casa do Terreiro, no dia 22 de Abril de 2017. Na mesa estiveram, para além do autor, o Vereador da Cultura da Câmara de Leiria, Dr. Gonçalo Lopes, o Presidente da União das Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes, José Cunha, o Pároco de Barreira e Cortes, P. Augusto Gonçalves, o editor, Carlos Fernandes, e o apresentador e escritor António Nunes. A sessão teve a ilustração musical do Coro de Câmara AdesbAcapella e a audição de um tema gravado, com poema de Pedro Moniz musicado e cantado por Pedro Jordão. Celeste Alves declamou o mesmo poema.

O livro “Figueiró dos Vinhos – Coletânea Documental”, da responsabilidade de Miguel Portela, foi lançado em Figueiró dos Vinhos no dia 15 de Abril de 2017, no Museu e Centro de Artes, integrado nas comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios. Tem 478 páginas e foi  produzido pela Textiverso, de Leiria.

A apresentação foi feita por Carlos Fernandes e pelo autor que destacaram a importância de reunir em volume e disponibilizar para o público um tão vasto conjunto de documentos (178) produzidos ao longo de oito séculos, desde 1135 a 1902.