Artigos relacionados

Na montra

livro_oracoes.jpg

O auditório da Biblioteca Municipal da Marinha Grande foi o espaço eleito por Conceição Faria Alexandre, de São Pedro de Moel, para lançar o seu volume de memórias biográficas que tem por título “Longo e sombrio Inverno”. A sessão ocorreu no dia 17 de Dezembro de 2016, e teve duas amigas na apresentação: Ana Cristina Luz, que traçou o seu perfil biográfico; e Cristina Nobre, que falou mais propriamente sobre o conteúdo do livro, que tem 224 páginas e foi produzido pela Textiverso.

 

No Prefácio, lê-se: «Houve muitas alturas da sua vida em que pensou que Deus a tinha abandonado. Perguntou muitas vezes se a sua fé estava a ser posta à prova. Isa não estava zangada com Deus, mas pensava que Deus poderia estar zangado com ela, por ser fraca, por deixar que o medo tomasse conta de si. Acreditava sinceramente, que o seu pior pecado era o medo.// Também tem muita dificuldade em compreender, outras experiências horríveis com as quais se tem deparado na sua vida.» Estas considerações, logo a abrir o livro, poderão induzir o leitor em erro, porque a vida de Conceição Faria Alexandre também é feita de preciosas vitórias que, naturalmente, exigiram luta, perseverança, auto-estima e, sobretudo, vontade de vencer. Cristina Nobre salientou, em particular, a vertente poética da autora e até a desafiou a publicar um livro de poesias. Em seu entender, aquilo que o livro revela, em termos de vida pessoal, deve ser lido e guardado, como uma confidência da autora que, ainda assim, não teve receio de se expor. O assunto não precisa de estar patente à curiosidade pública, pelo que o importante foi salientar a vivacidade com que a autora escreveu, o realismo com que se expressou e a coragem que teve de passar para o papel as alegrias e as mágoas que a vida e os que com ela viveram lhe deram ou impuseram.

O editor teve também uma palavra de admiração pela importante vitória sobre si mesma que a autora consumou ao escrever e publicar um livro desta índole. Aparentemente, ele desempenhou uma função catártica, tanto mais eficaz quanto maior a compreensão por parte dos muitos amigos presentes na sessão. E a autora estava feliz por ter conseguido essa vitória.