Artigos relacionados

Na montra

Capa-Misericordia-PMos.jpg

Com data de Maio de 2017, já está na rua o volume n.º 12 dos Cadernos de Estudos Leirienses. Produzido pela editora Textiverso, tem 512 páginas e insere um dossiê dedicado a Ourém, da Diocese de Leiria-Fátima. Foi lançado no dia 27 de Maio na Galeria Medieval de Ourém, perto do castelo, e foi apresentado por Saul António Gomes, coordenador científico da publicação, e por Ana Saraiva, Directora do Museu Municipal de Ourém.

 

As matérias dedicadas a Ourém ocupam 112 páginas, justamente um quinto do volume, e contemplam a evocação das ocorrências da Cova da Iria em 1917, há 100 anos, entre outros assuntos como olhares sobre o património natural do concelho de Ourém, considerações sobre a importância e papel dos museus Municipal de Ourém e de Arte Sacra e Etnologia (Consolata Museu) da Cova da Iria, informação pormenorizada de escavações no morro do castelo, estudo sobre a capela de S. Sebastião, da Atouguia, e análise do confronto político-religioso em Ourém nos anos 1918-19.

Este volume insere depois um vasto conjunto de estudos, variados e muito interessantes, que abrangem o território do Distrito de Leiria de Peniche a Figueiró dos Vinhos, passando por Alcobaça, Batalha, Leiria e Marinha Grande. Evoca-se a figura do historiador Jacinto de Sousa Gil, recentemente falecido; publica-se a última parte do documento que descreve as manobras militares do 28 de Maio de 1926 na região de Leiria; transcrevem-se memórias da mesma região no período de 1842; e inserem-se os índices das cinco edições de 2016 e ainda um índice remissivo, por autores, das onze primeiras edições dos Cadernos, para além de notícias culturais e de uma extensa bibliografia sobre a região.