Artigos relacionados

Na montra

capa_guia_torga.jpg
correio_leiria_001
Em sessão mais ou menos privada, foi apresentado na Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, em Leiria, no dia 21 de Janeiro de 2012, mais um livro da autoria de D. Alda Sales Machado Gonçalves, agora com o título Memórias do Correio de Leiria. Tem 160 páginas e foi uma produção da editora Textiverso, de Leiria, inserida na colecção “Tempos & Vidas” (n.º 17), com o patrocínio da Fundação Caixa Agrícola de Leiria.
Como se escreve na contracapa, «o grande objectivo deste livro é dar a conhecer aos Leirienses a história dos Correios em Leiria, sobretudo desde a oficialização do Correio em Portugal pelo Rei D. Manuel I, passando pela mala-posta, mudas, estações de correio, introdução da distribuição domiciliária, carimbos nominais, carimbos de barras até às marcas do dia, caixas e marcos do correio, e até pela Filatelia».

couseiro_apresenta001
Finalmente, no dia 10 de Dezembro de 2011, foi apresentada no Arquivo Distrital de Leiria a 4.ª edição absoluta do importante livro Couseiro ou Memórias do Bispado de Leiria, transcrição da 2.ª edição, de 1898. O livro agora dado à estampa tem 464 páginas e é uma edição da Textiverso, de Leiria, com o patrocínio de um amante das coisas leirienses, o Eng. Ricardo Charters d’Azevedo.
Este é um dos mais notáveis livros da bibliografia de Leiria, que dá conta dos acontecimentos do Bispado de finais do século XVI até à primeira metade do século XVII. Dele se conhecem três edições: uma, datada de 1868, da responsabilidade do P.e Inácio José de Matos, eclesiástico do Bispado de Leiria; uma segunda, da responsabilidade do mesmo eclesiástico, de 1898, mas cujo título foi ligeiramente alterado para O Couzeiro ou Memórias do Bispado de Leiria, com longo apêndice; e uma terceira edição, que é a reimpressão da primeira, da responsabilidade do P.e António Francisco Pereira e publicada, primeiro, em fascículos no jornal "O Mensageiro", de 25 de Maio de 1978 a 25 de Setembro de 1980, e, depois, em livro encadernado, sem data. Estas edições, contudo, não são mais do que a transcrição de cópias de um manuscrito escrito entre os finais do século XVI e meados do século XVII, já desaparecido, mas que têm diferenças importantes, como escreve o P.e Inácio José de Matos no prefácio à segunda edição, de 1898.
not_pres_colmeias_01
A Junta de Freguesia de Colmeias homenageou, no dia 10 de Dezembro de 2011, os autarcas que representaram aquela freguesia entre o ano de 1913 e a actualidade. Do programa constou o lançamento do livro “Junta de Freguesia de Colmeias – Os Presidentes”, da autoria de Silvino Gaspar e edição daquela autarquia. Tem 48 páginas e foi uma produção da Textiverso.
Os autarcas que assumiram aquele cargo público no período considerado estão retratados nesta publicação com foto, currículo e a evocação de alguns acontecimentos notáveis da época em que estiveram à frente dos destinos da Junta. O livro insere ainda quadros com os elencos de cada Junta, num total de quinze.

jean_marie001
A Academia Portuguesa da História realizou no dia 7 de Dezembro último a sessão solene do Dia da Academia, que decorreu no Palácio dos Lilases, em Lisboa.
Comemorando os 750 anos do nascimento do rei D. Dinis, foi apresentada uma conferência sobre o tema, pela Académica de Número, Prof.ª Doutora Maria José Azevedo Santos.
Nesta cerimónia foram ainda entregues os prémios 2011 aos autores de nove obras seleccionadas. Entre esses prémios, constou o Prémio de História Calouste Gulbenkian – História da Europa que foi atribuído ao Prof. Doutor Jean-Marie Guillouët pelo livro “O portal de Santa Maria da Vitória de Batalha e a arte europeia do seu tempo”, apresentado em 14 de Agosto de 2011 na Batalha, numa edição da Textiverso, de Leiria.

eb1_cortes_cor
O professor e escritor Carlos Alberto Silva dinamizou, durante o mês de Novembro, sessões de animação da leitura nas escolas e jardins-de-infância da freguesia de Cortes, concelho de Leiria, a fim de promover o seu novo livro «Ó Simão, seu trapalhão, já armaste confusão».
No dia 2 de Novembro, foi a vez do Jardim-de-infância da Reixida. Depois de falar sobre a sua actividade como professor bibliotecário, o escritor narrou e leu diversas histórias, nomeadamente a sua última. A receptividade das crianças à actividade foi enorme, tendo esta terminado com uma sessão de autógrafos.

No dia 9, foi o Jardim-de-infância de Famalicão o contemplado. O programa da sessão foi do mesmo teor da antecedente, igualmente com uma receptividade assinalável por parte dos destinatários.

estrada001

O Professor Doutor António José Marques Vieira de Santa-Rita (Arquiteto, M. Sc. Ph. D.) e o Eng. Eduardo Zúquete (antigo vice-presidente da ex-JAE), ambos com ascendência familiar em Leiria, foram os apresentadores do livro “A Estrada de Rio Maior a Leiria em 1791”, de Ricardo Charters d’Azevedo, lançado no dia 17 de Setembro de 2011 no Arquivo Distrital de Leiria.

Trata-se de um livro de formato grande (A4), com 158 páginas (32 em cor), mais quatro cartas coloridas, de formato A3, em extratexto. É o volume n.º 15 da colecção “Tempos & Vidas”.

 

portal_batalha001

O auditório municipal da Batalha foi o local nobre escolhido para o lançamento e apresentação, no dia 14 de Agosto de 2011, do livro bilingue «O portal de Santa Maria da Vitória da Batalha e a arte europeia do seu tempo: Circulação dos artistas e das formas na Europa gótica / Le portail de Santa Maria da Vitória de Batalha et l'art européen de son temps: Circulations des artistes et des formes dans l'Europe gothique», da autoria do Professor Jean-Marie Guillouët. Este livro de grande formato tem 252 páginas e constitui o primeiro volume da nova colecção Portugalia Sacra, da editora leiriense Textiverso.

A apresentação, que decorreu no âmbito da cerimónias oficiais do Dia do Município da Batalha e da comemoração dos 626 anos da Batalha de Aljubarrota, esteve a cargo do Professor Doutor Saul António Gomes que, aliás, é o Director científico da nova colecção.

 

encena_arte_lra001

A convite da responsável do m|i|mo – Museu da Imagem em Movimento, Ana David, decorreu em Leiria, no dia 25 de Junho de 2011, mais uma apresentação do livro “A encenação da arte”, de Fernanda Maio, edição da Textiverso na sua colecção “Ensaio”. A sessão, que decorreu ao fim do dia no auditório do próprio m|i|mo, próximo do castelo, foi orientada pela Autora, face à ausência do apresentador anunciado, António Pedro Pita, que falhou ao compromisso.

 

 cordas_porto001

O livro de Daniel Basílio, “São douradas as cordas”, edição Textiverso de Outubro de 2009, foi apresentado também no Porto, no Instituto Cultural D. António Ferreira Gomes, desta feita a 20 de Junho de 2011. Daniel Basílio é ali professor desde há algum tempo, ministrando "Arte e Cultura Islâmica”. A sua vertente poética concitou o apreço do Director daquele Instituto, o Professor Doutor Levi Guerra, que promoveu a apresentação do livro para o seu público docente e discente.

 

not_ribeiro001
O pátio interior do Clara Jardim * Restaurante (ao campo Mártires da Pátria), em Lisboa, foi o cenário escolhido para o lançamento e apresentação, no dia 17 de Junho de 2011, pelas 19h00, do livro “Memorial das Famílias do Cadaval – RIBEIRO”, da lavra do Dr. António Francisco Da Franca Ribeiro. Trata-se de um longo trabalho de 396 páginas, primeiro volume de uma nova colecção designada “Terras & Gente d’Oeste”, edição da Casa de D. Lobo, do Cadaval, com concepção gráfica e produção da Textiverso.
A sessão de apresentação antecedeu o jantar e a reunião mensais, ali realizados habitualmente, da Associação Portuguesa de Genealogia, destacando-se na mesa, justamente o Presidente da Assembleia Geral, o Dr. Duarte Nuno do Vale e Vasconcelos, ladeado pelo Autor e pelo apresentador.
O Eng. Ricardo Charters d’Azevedo encarregou-se de traçar a síntese biográfica do Autor e de fazer a apresentação do livro, socorrendo-se de um texto que elaborou a esse respeito e que pode ser lido aqui na secção “Apresentações”.

not_eca001

Os Encontros de “Olhares Queirosianos”, promovidos pela Junta de Freguesia de Leiria, com o apoio de várias entidades, têm por objectivo «retratar a época em que Eça de Queirós viveu em Leiria». Foi nesta cidade que, a 30 de Junho de 1870, Eça de Queirós, um jovem de 25 anos, tomou posse no cargo de Administrador do Concelho, regressando à capital em Maio ou Junho de 1871, depois de ter prestado provas no Ministério dos Negócios Estrangeiros. «Permaneceu, portanto, cerca de um ano nesta cidade, mas o tempo suficiente para a imortalizar num dos seus romances.»

O III Encontro de “Olhares Queirosianos” decorreu no dia 4 de Junho de 2011 e constou, na sua essência, de um almoço queirosiano, no restaurante Porto Artur, em Leiria, e da teatralização, pelo Grupo Te-Ato, de excertos da obra “O Crime do Padre Amaro”, de Eça de Queirós. Após o almoço, foi apresentado ao público um roteiro da cidade, com referências de Eça, da autoria da Dra. Ana Margarida Dinis Vieira e com o título “A Leiria de Eça da Queirós – Guia da Cidade”, edição da Junta de Freguesia de Leiria, com produção da Textiverso.