Artigos relacionados

Na montra

nuvem_capa.jpg

not_menino_acorda01

“O menino que acordava as estrelas” – eis o título de um livro que representa uma nova experiência para o psicólogo Dr. Paulo José Costa, a cujo imaginário se acrescentaram, com feliz inspiração, as ilustrações de Nídia Nair. De formato 22x22 cm, o livro tem 20 páginas e é uma produção da Textiverso, de Leiria. Foi apresentado no dia 15 de Junho, nas instalações da Fundação Caixa Agrícola de Leiria, ao Terreiro, pela Dra. Maria Celeste Sousa Alves, e, para a ilustração musical e cénica da sessão, contou com a colaboração de diversos amigos, designadamente Tiago Antunes, Nuno Brito, Marco Tenório, Edgar Cid e Vânia Silva. Na mesa estiveram, para além do autor, da ilustradora e da apresentadora, o representante da Textiverso, Carlos Fernandes, e o representante da Câmara de Leiria, Gonçalo Lopes. Este livro é, em suma, a história de Tristão, um menino aventureiro que vivia na terra da alegria. Junto da sua casa havia uma árvore grande onde se empoleirava e onde aprendeu a conhecer a terra e as forças vivas da natureza.

 

orla_pataias_not01

Foi em Pataias, durante a Feira do Livro que ali decorreu a 18 de Maio de 2013, que foi lançado o livro “50 anos de ocupação do litoral oeste. O caso da freguesia de Pataias, Alcobaça”, da autoria de Paulo Grilo Santos. É um ensaio com 206 páginas, profusamente ilustrado, n.º 22 da colecção “Tempos & Vidas”, da Textiverso.

Como se escreve na sinopse, o presente estudo pretende fazer a análise da ocupação da orla costeira nos últimos 50 anos, utilizando o litoral da freguesia de Pataias no concelho de Alcobaça como exemplo, tentando entender como se processou a sua ocupação e a aplicação dos instrumentos de gestão do território existentes.

circuitos_memoria01
No Pavilhão Municipal de Exposições da Marinha Grande decorreu, no dia 27 de Abril, o lançamento do livro "Ao encontro da Marinha Grande – Circuitos da memória", da autoria de Gabriel Roldão. Tem 460+8 páginas e é uma edição do Rotary Club da Marinha Grande, com produção da Textiverso e n.º 21 da sua colecção "Tempos & Vidas". A apresentação (ver em "Apresentações") esteve a cargo do Dr. Vítor Hugo Beltrão, que enunciou uma biografia pormenorizada do autor e contou episódios destes circuitos, referindo que «é uma obra que deve fazer parte de todos os lares marinhenses: de fácil leitura, pode ser aproveitada para seguirmos as sugestões dos diferentes percursos.» Foi aplaudido por uma plateia composta por cerca de centena e meia de pessoas.
Este livro é constituído por uma colectânea de textos, com a descrição, rua a rua, justificativa e explicativa da riqueza histórica contida na descrição toponímica exposta nas placas, sinais para a biografia de personalidades, notas sobre elementos tradicionais ou ainda de factos históricos que se prendem com a evolução económica e social da Marinha, que enriquecem cada um dos arruamentos da sua malha urbana.

not_contemporaneidades01
O átrio da Biblioteca José Saramago, no Campus 2 do Instituto Politécnico de Leiria, ao Alto do Vieiro, foi o cenário escolhido por Micael Sousa para a apresentação do seu livro "Contemporaneidades – Poesia e Pintura", que teve produção da Textiverso. A iniciativa ocorreu no dia 15 de Março de 2013, a partir das 21h00, e assinalou também a inauguração de uma exposição de pintura com o mesmo título e do mesmo autor naquele espaço.
O livro em apreço tem 48 páginas e é ilustrado com as imagens de algumas das telas expostas, reproduzidas a preto e branco. Não é um catálogo, mas pode considerar-se a voz que emana dos quadros ou mesmo a expressão com que eles nos interpelam. Apresentar um livro no meio de uma exposição que dialoga com ele tem esse efeito de nos levar a ler os quadros ou a ver figurações nos poemas. Ambos, aliás, pouco acomodatícios.

Aspecto da apresentação em Chaves

O livrinho “Aristides, o semeador de estrelas”, de Ana Cristina Luz, com ilustrações de António Moncada de Sousa Mendes, produzido pela Textiverso e saído a público em Março de 2012, tem vindo a ter um sucesso assinalável ao longo de todo o país, com a autora desmultiplicando-se em apresentações, sobretudo ao nível de escolas e bibliotecas. Aqui junto estão algumas fotografias das sessões em que Ana Luz tomou parte. A sua ida a Chaves deveu-se a um convite das escolas de Vidago e Chaves. Esteve numa sessão na Biblioteca Municipal, juntamente com o neto de Aristides, Major Álvaro Sousa Mendes, e em sessões nas escolas locais. Durante estas sessões, a Autora contou aos jovens a vida de Aristides, apoiada numa apresentação com fotografias sobre a sua vida. No final, os interessados puderam adquirir o livro.

 

not_soares_barb01

O auditório da Câmara Municipal de Ansião foi o local escolhido para o lançamento de mais um livro da lavra do Eng. Ricardo Charters d’Azevedo, o que aconteceu na tarde do dia 26 de Janeiro de 2013. Tem por título “Os Soares Barbosa – Ansianenses Ilustres” e constitui um volume de 136 páginas em formato A4, editado pela Textiverso, de Leiria, n.º 20 da sua colecção “Tempos & Vidas”. A apresentação foi feita pelo Dr. Manuel Augusto Dias. Na mesa estiveram, para além do autor e do apresentador, o Presidente da Câmara de Ansião, Dr. Rui Rocha, o Director da Al-Baiäz – Associação de Defesa do Património, Sr. Élio Dias Marques, e o representante da Textiverso.

 

cronic_jac_maga01

Depois de terem sido lançadas, em primeira mão, no dia 16 de Dezembro de 2012, na Quinta dos Caniços, em Tires (S. Domingos de Rana), com apresentação de Raul Moreira, as “Crónicas” de Jacinto de Magalhães foram também apresentadas no Porto, a 18 de Dezembro 2012, no Instituto Cultural D. António Ferreira Gomes, pelo Prof. Doutor Levi Guerra. Estas “Crónicas” constituem um livro de 486 páginas, numa produção da Textiverso, com edição da Dra. Zita de Magalhães, viúva do autor, do Porto.

 

not_odivelas

No dia 12 de Dezembro de 2012, foi apresentada em Odivelas, na Loja de Turismo, no Strada Shopping (Odivelas Parque), a 3.ª edição do livro “Operação Marmelada”, de Manuela Ribeiro, um livro destinado aos mais jovens, cuja ação decorre em Odivelas. Tem 112 páginas e é uma produção da Textiverso a partir da presente edição.

O lançamento da nova edição do livro coincidiu com a apresentação do bombom “Denegro”, inspirado no romance entre Madre Paula e D. João V, saído das mãos do Chef António Marques que sabiamente "vestiu" a Marmelada Branca de Odivelas com um casaco negro de 70% de cacau.

 

not_escritos01
Foi de novo a Casa-Museu João Soares, em Cortes (Leiria), o espaço escolhido para, no dia 16 de Dezembro último, mais uma iniciativa do Jornal das Cortes – a evocação dos seus 25 anos e a apresentação do livro "Escritos de Manuel Moleiro", da autoria de Manuel Oliveira Fernandes, que reúne toda a sua colaboração no jornal desde o n.º 1 até praticamente ao seu falecimento, em Maio de 2012. O livro tem 208 páginas, foi produzido pela Textiverso, de Leiria, e é uma edição daquele jornal.
Tem cinco capítulos distintos: Versos; Filosofias do Zeraskerda; Contos de Natal; Lições adoc; e Outras prosas. O empresário José Bento da Silva, que apoiou a edição, foi o apresentador.
Eis alguns respigos da sua intervenção relativamente ao livro e ao seu autor (ver texto integral na secção Autores/Apresentações):
«Poeta versátil, o jogo harmonioso das suas frases traduzidas em poesia é de uma doçura e encantamento que nos humedece a alma. (...) Os seus textos poéticos, com sabor a mel, são estruturados de acordo com a escola dos autores clássicos em que predomina o mote repartido em estrofes onde a presença e o sentimento romântico se fazem sentir em cada uma das suas frases harmónicas, cheias de musicalidade e sentimentos espiritualmente afectivos. (...) Versou muitos temas como as Cortes, os seus lugares, Leiria, cantou o rio Lis, lembrou as crianças, falou à mocidade, lembrou os namorados e abordou temas de cariz campestre, entre muitos temas ternurentos. (...)

not_memorias001
Numa sessão amplamente participada, decorreu nas instalações do m|i|mo – museu da imagem em movimento, em Leiria, no dia 8 de Dezembro de 2012, o lançamento do livro "As minhas memórias [Leiria, 1909-1939]", da autoria de Raul Faustino de Sousa. Trata-se de um volume com 176 páginas, enriquecido com numerosas ilustrações do autor e também com várias fotografias da responsabilidade do editor. É justamente uma edição da Textiverso, de Leiria, e n.º 19 da sua colecção "Tempos & Vidas".
Este livro, que foi, de certa forma, pretexto para a monumental exposição fotográfica inaugurada no mesmo dia no m|i|mo com o título "(Re)Conhecer Leiria – Memórias e imagens do século XX" (e que vai ficar ali patente até 15-06-2013), foi apresentado pelo Arq. António Moreira de Figueiredo, que deixou abundantes notas para a sua compreensão (ver texto integral na secção Autores/Apresentações). Raul Faustino de Sousa era natural da Marinha Grande (05-08-1905), mas passou a residir em Leiria a partir de 1909, onde permaneceu activíssimo até 1939 e de que escreveu memórias muito vivas que são, naturalmente, de importância capital para a compreensão da cidade e das suas gentes na primeira metade do século XX.

beethoven001

A pessoa do grande compositor Beethoven e o mundo das suas relações foram o motivo para a concepção do livro “O génio da música da era romântica – Ludwig van Beethoven”, a que deitou ombros Júlia Moniz. É um volume com 140 páginas, produzido pela editora Textiverso, de Leiria, e foi apresentado no dia 28 de Outubro de 2012 no salão paroquial da Barreira (Leiria), com a presença da Presidente da Câmara de Leiria (em exercício àquela data), Lurdes Machado, do Presidente da Junta da Barreira, José Cunha, e do Pároco, P. Rui Acácio Ribeiro.
O apresentador foi o Maestro Paulo Lameiro que sublinhou justamente a particularidade de a autora não ter enveredado pela área técnica, com análises comparativas das composições, mas se ter detido sobre o que foi o homem, no seu tempo, e sobre o mundo que o rodeava, desde a família às casas senhoriais, passando pelo mundo da música de então e pelas mulheres. Ou seja, Júlia Moniz estudou um homem genial nos domínios da música, mas foi sobretudo aos valores humanos que se ateve e com os quais se identifica. Afinal, um compositor de génio que teve na portuguesa, sua contemporânea, Luísa Todi uma das suas intérpretes!